Featured

Necessita de apoio na identificação e resolução de tarefas de Marketing?

Facilitamos e agilizamos a consulta ao mercado para execução de tarefas reativas de Marketing, Digital, Above The Line e Below The Line, libertando-o para a execução do seu plano de marketing.

Como sabe, em paralelo a um planeamento diário de tarefas de marketing, surge regularmente necessidade de execução de tarefas de marketing reativas (fora do planeamento) que o desfocam da execução de outras tarefas necessitando de uma plataforma ágil de interface de comunicação na consulta ao mercado para apoio na execução dessas tarefas.

Para seu benefício e facilitação na execução de tarefas de marketing, apoiamos, de uma forma interactiva, simples e de forma directa a execução de tarefas reativas de marketing

Com esta solução, propomos apoiar as suas tomadas de decisão de marketing, melhorando a execução das respetivas tarefas, que impactam nas suas vendas.

Já apoiámos a execução de tarefas de marketing em empresa, com impacto positivo no feedback do mercado, resultando em aumento de 20% de consultas comerciais por parte de clientes.
Se pretende aumentar a afinidade com o seu público-alvo e melhorar os seus kpi´s de atividade, estamos preparados para fornecer apoio para o cumprimento dos seus objetivos de marketing. Propomos desenhar um projeto piloto adequado às suas necessidades para comprovar a eficácia dos serviços de marketing Promopcmkt. Aguardamos o seu contacto e email em https://promopcmkt.com   Visite-nos!

Advertisements

Pesquisas continuam … mas noutros formatos

Em época do ano de preparação dos negócios e atividades para datas comemorativas sendo este fator a chave para o sucesso nas vendas. Os profissionais, como o caso da especialista Fátima Merlin, Fundadora e CEO da Connect Shopper, apontam o ano de 2021 com um cenário desafiador mesmo para uma das datas mais relevantes do retalho: as vendas de final de ano. “É preciso fazer um planeamento detalhado e minucioso para uma execução extremamente eficiente, considerando o sortido, o ambiente da loja, os serviços, a equipe, as ações de marketing, merchandising e promoções.

Criatividade e eficiência são palavras de ordem!”, diz.

A pandemia lançou-nos nos braços do comércio online e alterou, de modo significativo, a forma como estávamos habituados a consumir, e está a provocar mudanças nos hábitos de consumo e a fazer emergir e acelerar novos hábitos um pouco por todo o mundo. A tecnologia tornou-se imprescindível

Além disso, os portugueses mostram que estão a mudar o seu comportamento na hora de pagar as compras – usam cada vez mais o telemóvel no processo, tanto no consumo online como em lojas físicas, sendo o MB WAY o método de pagamento preferencial. Nas lojas físicas, a utilização do MB WAY cresceu mais de 300% em novembro, sendo que nas compras online aumentou, no mesmo mês, 260 por cento.

Digno de destaque numa análise da SIBS é o aumento, no último ano, do número de pesquisas e compras online em sites de comerciantes portugueses. Em período homólogo, só no mês de Novembro, as compras online em comerciantes nacionais cresceram 83% face ao período homólogo do ano anterior. “Estes dados refletem o esforço e a transformação digital de muitas empresas nacionais que souberam tirar partido da tecnologia e passar da sua estrutura física para uma presença online, adaptando-se à nova realidade, às novas necessidades e de acordo com as alterações significativas nos hábitos de consumo dos portugueses”, nota o estudo da SIBS.

Existe necessidade de ´players do mercado de uma abordagem a próximas datas festivas com aumento de consumo e pesquisas online:

26 Novembro – Black Friday
Umas das datas mais esperadas do ano, todos os setores podem aproveitar. O impulsionamento nas vendas é enorme. Planeie as suas ações para o evento e ofereça bons descontos para atrair os seus clientes.

29 – Cyber Monday
Os descontos continuam em algumas marcas após a Black Friday. Usada para continuar as ofertas e atrair mais clientes. Uma estratégia boa é diversificar os produtos.

25 Dezembro – Natal
Aproveite a data para trabalhar todo o segmento. Por ser uma data muito esperada e agitada, não deixe para criar a comunicação e as ofertas em cima da hora. Planeie desde cedo e vá aprimorando durante o mês de dezembro.

31 Dezembro – Véspera de Ano-novo
Use a oportunidade que o ano-novo traz e feche o ano com chave de ouro fazendo promoções e liquidações. Aproveite para agradecer seu cliente pela confiança e divulgar seus produtos.


Assim sendo, marcando presença online , e se marcam presença com a vossa ´marca´ , necessitarão de uma regular optimização da presença online e mobile com:

  • acquiring digital marketing services
  • video marketing
  • seo optimization
  • temas relacionados

Uma análise semântica de um site permitirá primeiro determinar a intenção dos pedidos, ou seja, para dizer as expressões e palavras-chave dactilografada pelo utilizador na barra do motor de busca. A análise semântica permitir-lhe-á responder aos diferentes tipos de pedidos e daí a importância da sua optimização de acordo com os objetivos.

E porque o Android é o sistema operativo que domina este mercado mundial (De acordo com um relatório do StatCounter de abril de 2017, o Android ultrapassou o Microsoft Windows para se tornar o sistema operativo mais popular para o uso total da Internet), e também porque vivemos numa era ´mobile first´, maior é a importância desta otimização para as pesquisas efetuadas online, e onde o conceito de ótmização SEO´ é hoje prioridade.

Advertisements

Marcas chegaram a um acordo > Audi compra todo o grupo McLaren

A Autocar relata que a primeira oferta feita pelo Grupo Volkswagen através dos Quatro Anéis foi recusada pelo conselho de administração, sendo que o presidente executivo da McLaren, Paul Walsh, queria o dobro. As duas partes finalmente chegaram a um acordo, e a fonte não especificada mencionada pela revista britânica diz que a McLaren certamente mudará de mãos em breve.

Embora a McLaren não tenha respondido ao inquérito da Autocar no momento da escrita do artigo, e à data, um porta-voz da Audi não quis comentar sobre o assunto delicado. Desde que o negócio esteja realmente realizado, isso abrirá o caminho para o Grupo VW entrar na F1 após um longo período de discussões para uma entrada potencial em 2026, quando o motor será revisto novamente. Talvez mais interessante seja como o ´lado de estrada´ da McLaren será posicionado dentro da família, na sequência da hierarquia recém-formado, que já é bastante complicada incluindo as marcas Porsche, Lamborghini e o Bugatti Rimac .

E é assim, que a McLaren aparentemente recusou a oferta inicial, mas a Audi voltou com um negócio melhor e as duas partes chegaram a um acordo. O nosso preguiçoso domingo foi interrompido, refere o autor do artigo, quando o site irmão do Automotive News, Automobilwoche, publicou um artigo no qual alegou que a McLaren seria vendida e dividida em duas. De acordo com a reportagem da revista alemã, o plano consistia na BMW a comprar a divisão de carros de estrada, e com a Audi a comprar o ramo de automobilismo para assumir o controle da equipa de Fórmula 1. No entanto, um porta-voz da BMW foi rápido em refutar esse boato em uma entrevista à Bloomberg, enquanto um representante da Audi apenas disse que a marca sediada em Ingolstadt “rotineiramente considera várias idéias de cooperação” como parte de sua “estratégia. “Ainda pode haver alguma verdade no relatório original da Automobilwoche, conforme a Autocar afirma que a Audi estará a comprar todo o Grupo McLaren.

Para aqueles que não estão familiarizados com o lado corporativo da McLaren, Mumtalakat possui 62,55 por cento das ações, o que significa que efetivamente controla a marca de supercarros e a equipa de F1 cada vez mais competitiva. Segundo o site oficial, ´o Bahrein´ a Mumtalakat Holding Company representa o fundo de riqueza soberana do governo do Reino do Bahrein. Como nota final, deve-se mencionar que o CEO da McLaren, Mike Flewitt, anunciou a sua saída no final do mês passado. Além disso, a marca sediada em Woking está sem dinheiro, considerando que teve que vender e alugar de volta a sua sede. Este disse, é muito cedo para dizer se esses factos têm algo a ver com a compra da Audi do Grupo McLaren, especialmente desde o negócio que ainda não foi oficialmente confirmado.

Fonte: Autocar

Advertisements
Advertisements
Advertisements

Web Summit arranca em Lisboa num teste ao novo normal

Lançado em Dublin em 2010 com apenas 400 participantes e realizado em Lisboa desde 2016, o Web Summit acolheu cerca de 70.000 participantes em 2019. Cerca de 40.000 participantes estão previstos para se juntarem ao Web Summit deste ano em Lisboa, após 19 meses de videoconferências.

E é assim que o Web Summit, uma das maiores conferências de tecnologia, abre as portas esta semana em Lisboa para o seu primeiro evento presencial desde que fomos todos atingidos pela pandemia , com nomes como a Microsoft, Amazon e Apple prontos para falar. Após o Mobile World Congress (MWC) em Barcelona em junho, é a próxima grande conferência de tecnologia para testar um retorno ao normal, reunindo empresários, altos executivos e grandes investidores .

Cerca de 40.000 participantes estão previstos juntarem-se à cúpula, que contará com 1.000 palestrantes, desde o vice-presidente da Microsoft, Brad Smith ao chefe de software da Apple, Craig Federighi, dirigindo-se a audiências que incluem fundadores de empresas que surgiram recentemente. “São quase 100% dos participantes presenciais – não vendemos bilhetes apenas para o online”, disse o co-fundador do Web Summit, Paddy Cosgrave. “A maioria desses fundadores de empresas nunca foram vistos pessoalmente – eles foram de lugar nenhum para algum lugar exclusivamente nos últimos dois anos de
bloqueio “, acrescentou.

Os investidores – que tradicionalmente se orgulham do seu “sexto sentido” para avaliar as pessoas pessoalmente – foram forçados a confiar em encontros virtuais. “Se investiu 200 milhões em alguém que conheceu apenas por causa do Zoom, é um grande ´salto de fé´”, disse Cosgrave. ´Players´ no setor de tecnologia, que ganharam influência financeira e alcance político sem precedentes à medida que a pandemia do coronavírus acelerou a digitalização em todo o mundo, destinam-se a abordar temas que vão desde privacidade e regulamentação até racismo e fintech.

Enquanto o CPO do Facebook, Chris Cox, falará sobre o “metaverso noutro palco, o mais novo denunciante do grupo de media social Frances Haugen irá discutir o alcance da rede sobre os seus 3 biliões de utilizadores – ou quase metade do planeta. Juntando-se a eles no evento, que vai de 1 a 4 de novembro, estarão executivos de mais de 70 “unicórnios” – startups avaliadas em mais
de 1 bilião de US $ . Centenas de fundadores de startups também buscarão a atenção de capitalistas de risco para ajudar a expandir os seus negócios –

“À medida que as pessoas vão para o Web Summit – para aquele que será o primeiro evento físico para muitos – acho que todos estarão ansiosos pelos
encontros fortuitos, ´bate-papos´ entre as sessões de palco e encontrando-se pessoalmente com velhos amigos de novo, “, disse à Reuters Harry Nelis, parceiro do fundo de venture capital Accel. Um evento desse tamanho também traz o foco nas precauções de segurança contra a propagação do coronavírus e apresenta o risco de transformar-se num evento “superspreader”, embora localmente – Portugal – esteja entre os países mais vacinados do mundo.

“Teremos equipas em toda a capacidade de monitorização do local, garantindo fluxos de tráfego unilateral”, disse Cosgrave. Numerosos espaços de reunião ao ar livre foram criados para pequenos grupos, junto com a equipa médica no local e salas de isolamento em cada edifício, acrescentou. Descrevendo a cimeira como o “maior evento de 2021” a ter lugar em Portugal, a polícia local disse que várias medidas de segurança irão estar em vigor para garantir que o “imenso fluxo de pessoas e veículos” seja bem administrado. Para os organizadores da conferência, um evento de sucesso é fundamental para se manter acima da água. O cancelamento do evento do ano passado forçou a MWC a demitir
cerca de 40% de sua equipa, com o organizador do MWC e a associação da indústria de telecomunicações GSMA a serem duramente atingidos.

Cosgrave disse que a Web Summit não demitiu ninguém por causa da pandemia, contando com fontes de receita de outros produtos, incluindo software de conferência híbrido, inicialmente projetado para complementar a rede em eventos presenciais e agora deve servir de base para a CES do próximo ano
em Las Vegas.

Fonte: RTE

Advertisements
Advertisements

Valve vai remover todos os jogos blockchain do Steam

´Developer´ confirma que a Valve não quer negociação de valor real no Steam, e agora o assunto tornou-se uma batata quente: a Valve está a planear remover todos os jogos do Steam que usam blockchain para trocar criptomoedas e
tokens não fungíveis (NTF). Usar NFTs em jogos tornou-se um assunto polêmico, já que alguns foram acusados ​​de serem golpes.

A Valve notificou o ´developer´ da SpacePirate Games que está a remover o jogo NTF do estúdio Age of Rust do Steam, juntamente com todos os outros jogos de blockchain. A Valve disse que não permite jogos que envolvam a venda e transferência de itens com um ´valor real´ no Steam. O ´developer´ partilhou uma foto onde a Valve lista coisas que desencoraja os ´developers´de publicar no Steam, com jogos blockchain que usam criptografia e NFTs .

Age of Rust é um jogo de ação e quebra-cabeça de ficção científica para um jogador que foi lançado ainda este ano. Ele incorpora NFTs no jogo-itens negociáveis. A descrição do Steam do ´developer´diz que Age of Rust usa NFTs da plataforma Enjin, alguns dos quais os jogadores podem ganhar como
conquistas para completar certos quebra-cabeças. Também usa NFTs de outros jogos como Epochrome, Forgehammer, Stormwall, Shadowsong, Oindrasdain e APG-M55. A SpacePirate Games afirma que continuará a trabalhar em jogos e NFTs fora do Steam.

No início deste mês, o criador do conjunto de NFTs Evolved Apes desapareceu junto com um site, uma conta no Twitter e milhões de dólares em criptomoedas. Os clientes que compraram os NFTs podem usá-los num jogo de luta e ganhar a criptografia Ethereum. Macaco Maligno havia vendido milhares de NFTs antes de desaparecer com o dinheiro dos investidores que deveria ser usado para desenvolver e comercializar o projeto. Portanto, a hesitação da Valve em relação aos jogos NFT não é infundada.

Fonte: Techspot

Advertisements

EA e FIFA em desacordo por valores e limites de licenciamento

Uma reportagem do New York Times indica que a Electronic Arts, que já declarou abertamente que considera alterar o nome FIFA de sua popular franquia de jogos de futebol, registou agora a marca para “EA Sports FC” no Reino Unido e União Europeia, indicando um possível substituto para o título da série. De acordo com o site VGC, a publisher registou a marca num escritório de patentes no Reino Unido a 1 de outubro, e no seu equivalente da União Europeia a 4 de outubro. O interesse da EA em mudar o nome de sua franquia de futebol, que conta com “FIFA” desde o primeiro jogo da série em 1993, ficou conhecido publicamente na última semana com uma publicação no blog oficial da empresa assinada pelo diretor geral da EA Sports, Cam Weber.

“Ao olharmos em frente, também estamos a explorar a ideia de renomear os nossos jogos de futebol da EA SPORTS globais”, escreveu Weber. “Isso quer dizer que estaremos a rever o nosso acordo de direitos de nome com a FIFA, que é separado de todos os nossos outros parceiros oficiais e licenças por todo o mundo do futebol.” De acordo com a nova reportagem do New York Times, a iniciativa do publisher em mudar o nome da franquia seria devido a uma disputa entre a empresa e a própria FIFA, tanto no valor da licença quanto seus limites. “O cerne da disputa é financeira”, diz a reportagem de Tariq Panja. “A FIFA almeja mais do que o dobro do que recebe atualmente da EA Sports, de acordo com pessoas com conhecimento sobre as negociações, um valor que aumentaria o pagamento da série para mais de US$ 1 bilião para cada ciclo de quatro anos entre Campeonatos do Mundo.”

Não só isso, “a FIFA preferiria manter a exclusividade da EA para parâmetros limitados relacionados ao uso em jogos de futebol, muito provavelmente para procurar novas fontes de renda para os recursos que manteria. A EA Sports, por outro lado, defende que a companhia pode explorar outras ´avenidas´ dentro do ecossistema de videojogos da FIFA, incluindo destaque de jogos reais, torneios de jogos e produtos digitais como NFTs.” De acordo com a reportagem, ao limitar a exclusividade da EA, a FIFA poderia formar parcerias com outras produtoras de games — como a Epic Games, de Fortnite — para diferentes produtos, sem a necessidade de repartir os lucros com o publisher.

Peter Moore, antigo executivo da EA Sports (e Sega, e Xbox, e Liverpool…), indica que isso seria um ponto de contenção significativo dentro da produtora de jogos. “Eu diria: ‘Espera um segundo: nós literalmente gastamos centenas de milhões de dólares em desenvolvimento e estão a dizer-me que a Epic Games pode chegar e adquirir uma licença para o nome que nós produzimos, investimos e que é sinónimo de ´videojogo´?'”, declarou ao NYT. ” E aí sim, vou negociar e lutar por isso.” O NYT relata que “pelo menos dois anos de conversas” sobre a renovação do contrato que permite que a EA use o nome da organização “Bateu na parede” depois de a FIFA ter pedido US $ 1 bilião para cada ciclo de quatro anos da Copa do Mundo. A FIFA, o órgão que controla o futebol mundial, também está empenhada em limitar a extensão dos direitos da EA, em que a editora supostamente deseja explorar “destaques de jogos reais, torneios de videojogos de arena e produtos digitais como NFTs”.

O contrato atual de dez anos da EA com o nome da FIFA expira após o Mundial do Catar no próximo ano. A EA declarou publicamente que estava a ponderar o corte de laços com o nome FIFA num comunicado à imprensa incomum publicado no início desta semana.
No comunicado, o representante da EA Sports GM Cam Weber confirmou que a empresa estava “a explorar a ideia” de renomear a franquia de sucesso, estando a rever o seu acordo de direitos de nome com a FIFA, órgão que governa o futebol mundial. O ex-chefe da EA Peter Moore, que agora trabalha na Unity Technologies, disse ao New York Times numa entrevista por telefone que a declaração era incomum para a empresa de jogos e ele acreditava que estava “claramente a enviar um pequeno sinal”. Embora não esteja claro quando uma decisão sobre o futuro da franquia será feita, a EA recentemente tomou várias medidas para garantir um futuro para a série, com ou sem esta direção.

No início deste mês, foi anunciado que a Electronic Arts havia chegado a um acordo para estender o seu contrato atual com o sindicato dos jogadores de futebol FIFPro, que lhe dá acesso às imagens e nomes dos jogadores de futebol profissionais. Mais tarde, foi descoberto que a EA tinha a marca registada “EA Sport FC” com a ´Autoridade de Propriedade Intelectual´ do Reino Unido e da União Europeia este mês. O tema ´fim do acordo´, que já dura décadas, seria danoso para ambas as partes, mas ao que tudo indica a EA estaria disposta a sofrer o risco, já que conta com diversos acordos de licenciamento com ligas e torneios de futebol pelo mundo (incluindo LaLiga, Bundesliga e Libertadores), e com órgãos como o FIFPRO, maior representante global de atletas profissionais de futebol, cuja parceria foi renovada nesta terça (12).

Já a FIFA poderia sofrer com o fim da licença, perdendo uma de suas grandes fontes de renda e impedindo planos de expansão da organização para o futuro. O fim das negociações, positiva ou negativamente, deve ser concluída até o fim do ano. FIFA 22, novo jogo da série, já está disponível, e poderá confirmar na review, que declara: “Muitos costumam referir que os jogos de futebol são apenas algumas atualizações da versão anterior, mas isso não é o que realmente acontece, e FIFA 22 não faz nada de revolucionário, mas consegue renovar e reformular diversos aspectos problemáticos das edições anteriores, de aspectos da jogabilidade ao modo Carreira — tanto do jogador
quanto treinador.”

“Ao longo de anos construindo nossa franquia global, também sabemos que a autenticidade é essencial para a experiência”, disse o chefe da EA Sports, Weber. “É por isso que concentramos tanta energia na força coletiva de mais de 300 parceiros licenciados individuais que nos dão acesso a mais de 17.000 atletas em mais de 700 equipas, em 100 estádios e mais de 30 ligas em todo o mundo”.
Fonte: Videogameschronicle

Advertisements

Teste em Monza do novo Porsche 911 GT3 R

Na semana passada, o Daily Sport Car trouxe as primeiras fotos, graças a Fausto Mattei, da próxima versão da oferta GT3 da Porsche, o 911 GT3 R, esta a primeira versão do GT3 R baseada na atual plataforma 992 da Porsches, substituindo a ´arma´ Porsche GT3 atual para 2023.

Como poderá constatar na história anterior, aqui, todas as primeiras fotos de Fausto capturaram o novo carro pela frente / lateral, e agora a sequência, com algumas fotos da parte traseira do último carro de teste, definido para um programa de teste de corrida para a temporada seguinte e para vendas ao cliente a partir de 2023.

Fonte: Dailysportcar

Advertisements

Insights Forrester 2020 forecasts

Importância de uma boa e má ´ consumer experience ´ > > quais são os valores e os significados pretendidos pelo consumidor

Foco no ´ valiance ´ e ´ significado ´ das intenções humanas mais amplas
por ex lover. de marcas globais como a NIKE.

Foco na ética da aprendizagem automática, inteligência synthetic e nas consequências do ´ machinelearning ´ e I.A. Definição por parte do cliente do que deseja das marcas e sua personalização,
usabilidade e layout, a sua identidade,

>” consumer insatisfaction”, suas causas

´ Evangelização ´ do produto será ´ crucial ´, com o mkt em tecnologia a dever entrar em transparência, no processo de desenvolvimento das aplicações de segurança

by Forrester Research ´ 2020.