Marcas chegaram a um acordo > Audi compra todo o grupo McLaren

A Autocar relata que a primeira oferta feita pelo Grupo Volkswagen através dos Quatro Anéis foi recusada pelo conselho de administração, sendo que o presidente executivo da McLaren, Paul Walsh, queria o dobro. As duas partes finalmente chegaram a um acordo, e a fonte não especificada mencionada pela revista britânica diz que a McLaren certamente mudará de mãos em breve.

Embora a McLaren não tenha respondido ao inquérito da Autocar no momento da escrita do artigo, e à data, um porta-voz da Audi não quis comentar sobre o assunto delicado. Desde que o negócio esteja realmente realizado, isso abrirá o caminho para o Grupo VW entrar na F1 após um longo período de discussões para uma entrada potencial em 2026, quando o motor será revisto novamente. Talvez mais interessante seja como o ´lado de estrada´ da McLaren será posicionado dentro da família, na sequência da hierarquia recém-formado, que já é bastante complicada incluindo as marcas Porsche, Lamborghini e o Bugatti Rimac .

E é assim, que a McLaren aparentemente recusou a oferta inicial, mas a Audi voltou com um negócio melhor e as duas partes chegaram a um acordo. O nosso preguiçoso domingo foi interrompido, refere o autor do artigo, quando o site irmão do Automotive News, Automobilwoche, publicou um artigo no qual alegou que a McLaren seria vendida e dividida em duas. De acordo com a reportagem da revista alemã, o plano consistia na BMW a comprar a divisão de carros de estrada, e com a Audi a comprar o ramo de automobilismo para assumir o controle da equipa de Fórmula 1. No entanto, um porta-voz da BMW foi rápido em refutar esse boato em uma entrevista à Bloomberg, enquanto um representante da Audi apenas disse que a marca sediada em Ingolstadt “rotineiramente considera várias idéias de cooperação” como parte de sua “estratégia. “Ainda pode haver alguma verdade no relatório original da Automobilwoche, conforme a Autocar afirma que a Audi estará a comprar todo o Grupo McLaren.

Para aqueles que não estão familiarizados com o lado corporativo da McLaren, Mumtalakat possui 62,55 por cento das ações, o que significa que efetivamente controla a marca de supercarros e a equipa de F1 cada vez mais competitiva. Segundo o site oficial, ´o Bahrein´ a Mumtalakat Holding Company representa o fundo de riqueza soberana do governo do Reino do Bahrein. Como nota final, deve-se mencionar que o CEO da McLaren, Mike Flewitt, anunciou a sua saída no final do mês passado. Além disso, a marca sediada em Woking está sem dinheiro, considerando que teve que vender e alugar de volta a sua sede. Este disse, é muito cedo para dizer se esses factos têm algo a ver com a compra da Audi do Grupo McLaren, especialmente desde o negócio que ainda não foi oficialmente confirmado.

Fonte: Autocar

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.