Plataforma de TV inteligente Tizen OS da Samsung tornou-se um gigante em cinco anos

Lançado em 2015, o Tizen OS tornou-se em pouco tempo um gigante, mas resumindo o que é Tizen OS? Bem, é um sistema operativo baseado em Linux que foi construído num ambiente de código aberto, o que significa que está mesmo disponível para ´developers´e fabricantes de dispositivos em todo o mundo.

Sendo baseado no Linux Kernel e desenvolvido pela Linux Foundation em parceria com a Samsung, Panasonic e Intel para funcionar em smartphones, tablets, smart TVs, netbooks, veículos e todos os outros tipos de sistemas. Para a criação de aplicações, o Tizen facilita o desenvolvimentos de aplicações nativas, sem deixar de lado a flexibilidade do uso de HTML.

A Samsung TV Plus é uma das razões pelas quais tantas pessoas gravitam para as smart TVs da empresa e para a plataforma Tizen . O TV Plus está disponível gratuitamente para qualquer dono de SMART TV da Samsung e dá acesso a mais de 1.000 canais em mais de 23 países em todo o mundo.

A Samsung Art Store e a interface amigável do utilizador Tizen OS são dois outros fatores que contribuíram para o sucesso da plataforma. Embora o Tizen seja substituído por Wear OS nos smartwatches galaxy ainda este ano, a empresa não tem planos para abandonar a plataforma de software para o seu negócio de SMART TV.

Pelo contrário, o Tizen OS para as smart TVs da Samsung está aparentemente aqui para ficar, e hoje, a empresa lembrou-nos as conquistas da plataforma através de uma nova infografia. Confira a infografias da Samsung para mais detalhes.

A primeira smart TV da Samsung alimentada por Tizen OS foi lançada em 2015 e foi seguida por uma variedade de modelos em todos os diferentes segmentos e gamas de preço. A empresa lançou o seu primeiro ´lifestyle TV´ alimentado por Tizen OS, bem como a sua Art Store em 2017.

A Samsung vendeu 300 milhões de televisores, monitores e produtos de sinalização movidos a TIzen OS de 2015 a 2020. Como do ano passado, houve mais de 190 milhões de utilizadores de TV inteligente Tizen OS em 197 países.

Fonte: Sammobile

Estes são os modelos Samsung que recebem o Android 11 e todas as evoluções

A versão 11 do sistema bateu o recorde de adoção após o lançamento, tornando-se a atualização do Google com a distribuição mais rápida de todos os tempos, inclusive nos primeiros cinquenta dias. Vantagem alcançada devido às novas funções de atualização, como: Project Treble, Mainline e, GSI, que juntos facilitaram a implantação das atualizações por fabricantes. Android 11 (com nome de código Android R no seu desenvolvimento) é uma versão do sistema operacional móvel Android desenvolvida pela empresa Google, lançado em setembro de 2020.

Os mais recentes telefones Samsung a obter a atualização baseada no Android 11 são o Galaxy A12 e o Galaxy A02s. O A12 recebe One UI 3.1 (Core) na Rússia com a versão de firmware A125FXXU1BUE3 junto com o patch de segurança de Maio. O A02s também está agora a receber a compilação principal do One UI 3.1 por meio de sua atualização A025FXXU2BUDC.

A relação de melhorias e novidades da versão Android 11, apresenta foco nas conversas, músicas, casa conectada, privacidade, etc, e são estas as atualizações:

Conversas: secção dedicada para gerir as conversas nos mensageiros; definir a prioridade de contatos específicos; adição dos ícones flutuantes de bate-papo, chamados bubbles, de pessoas ou grupos por cima da interface, para responder sem mudar de aplicação.

Smarthome: adição do menu rápido com funções para controlar dispositivos inteligentes da casa.

Pagamentos: adição do menu rápido com funções do Google Pay.

Mobilidade: esta versão executa o Android Auto sem fios. Obs.: é necessário ter um veículo compatível e um aparelho com suporte a Wi-Fi de 5 GHz.

Media: controles de reprodução de áudio e vídeo reformulados, funções na barra de notificações, com opção de alternar rapidamente entre o fone de ouvido e um alto-falante Bluetooth; Adição da gravação de tela nativa, que regista o som do microfone e do sistema. Também é possível realizar uma “captura de ecrã rolável”, onde o print registará também as partes que estão ocultas do ecrã.

Privacidade: o utilizador poderá conceder a permissão “apenas uma vez” para que aplicativos usem o microfone, câmara e, localização. Na próxima execução, o aplicativo terá que pedir autorização novamente; Esta versão Irá redefinir automática as permissões dos aplicativos que não são usados por muito tempo; Os aplicativos somente poderão ativar a câmara padrão do Android 11 para capturar fotos e vídeos, e não poderão ser abertos a partir de aplicativos de terceiros, apenas diretamente com solicitação do usuário; O Android Enterprise terá a mesma privacidade do modo pessoal, onde o perfil de trabalho
oferece ferramentas para gerir os telefones dos empregados sem monitorizar as atividades de uso pessoal.

Conexão: maior integração com o padrão 5G.

Ecrãs: adição do suporte a ecrãs com taxas de atualização variável; adição de interface adaptada para displays de formato diferente (com furo para câmara ou com bordas curvas).

Atualização: aumento das funções do projeto Mainline, para agilizar as atualizações demoradas do sistema Android; que permite atualizar partes separadas do sistema através de downloads divididos via aplicativo “Google Play”, como por exemplo, as atualizações de segurança que são enviadas mensalmente;

Notificações: todas as notificações podem ser descartadas, até as que estão em andamento ou em segundo plano; adição do “histórico de notificações”, se
perder uma notificação e gostaria de acessá-la novamente, poderá visualizar o conteúdo e o horário.

A atualização vem com o patch de segurança de abril do mês passado, em vez da compilação de maio mais recente. Ambas as atualizações trazem as vantagens habituais do Android 11, que incluem permissões únicas, controles de bloqueio inteligente aprimorados, ´digital´ aprimorado, bolhas de bate-papo e muito mais.

Fonte: GSMArena